A fisioterapia na reabilitação da mão









A mão produz o gesto, é a palavra do surdo e o olhar do cego. Porém, só percebemos e nos conscientizamos do valor imponderável das mãos quando nos deparamos com a incapacidade de usá-las. Uma lesão traumática, enfermidade ou deformidade significa a interrupção de projetos de vida, dificuldades em conquistar espaços e pode desencadear sérios problemas psicológicos. (FERRIGNO, 2007) A reabilitação de lesões ou patologias na mão requer tratamento específico e atualizado.

Nas lesões traumáticas de punho e mão a fisioterapia tem como objetivo restabelecer a mobilidade funcional ativa do paciente, deve sempre buscar o potencial máximo para promover maior interação ao realizar suas atividades deixando-o mais independente possível diante sua disfunção física. (SCHRÖDER, 2007).

A fisioterapia na reabilitação de lesões traumáticas de punho e mão é de suma importância, pois possibilita ao paciente um retorno rápido às suas atividades. O objetivo deste trabalho é demonstrar a importância da fisioterapia no processo de reabilitação de pacientes com lesões traumáticas de punho e/ou mão, através de estudo e relato de caso comprovando a eficácia do tratamento fisioterapêutico.

Após a pesquisa exploratória, levantou-se o seguinte questionamento: A intervenção da Fisioterapia nas lesões traumáticas de punho e mão pode contribuir para a recuperação funcional?

A fisioterapia ortopédica e traumatológica atua na prevenção e no tratamento de distúrbios do sistema musculoesquelético, tratam disfunções osteomioarticulares e tendíneas resultantes de traumas e suas conseqüências imediatas e tardias, lesões por esforços repetitivos e patologias ortopédicas. Seu objetivo é preservar, manter (forma preventiva), desenvolver ou restaurar (reabilitação) a integridade de órgãos, sistema ou função.

Segundo Tubiana, Thomine e Mackin (1996) o exame clínico é essencial como fonte de informações sobre as funções e as lesões do punho e da mão.

Para Araújo (2006) na mão traumática é importante saber o mecanismo da lesão, o tempo decorrido, a localização e os possíveis tratamentos, bem como lesões preexistentes nos membros superiores, com isso o terapeuta terá idéia da região afetada e da possível gravidade da mesma. Além dos dados gerais obtidos na anamnese (nome, idade, gênero e raça) são de interesse do terapeuta a ocupação, a dominância, as atividades de lazer e as necessidades fundamentais do paciente.

A mão é o nosso órgão de contato com o mundo exterior. (SCHRÖDER, 2007) A reabilitação funcional de lesões ou patologias na mão requer tratamento específico e atualizado. (FERRIGNO, 2007). Procura melhorar e curar os distúrbios funcionais existentes na extremidade superior. (SCHRÖDER, 2007).

Esteves (2003) realizou um trabalho sobre a importância da reabilitação fisioterapêutica nas lesões do plexo braquial superior evidenciando, assim como o presente trabalho, a melhora na qualidade de vida e posteriormente retorno rápido às atividades de vida diária após a intervenção.

A fisioterapia, nesses casos, envolve métodos de reabilitação e experiência clínica. O enfoque em relação às lesões e patologias geralmente é conservador, de manutenção e tem por finalidade prevenir ou minimizar as deformidades físicas, levando à independência e à autonomia. (FERRIGNO, 2007)

O fisioterapeuta lança mão de inúmeras técnicas preconizando a funcionalidade da mão, o tratamento fisioterapêutico engloba desde controle da dor, edema e cicatriz, exercícios terapêuticos, reeducação sensorial e treinos funcionais. Esteves (2003) afirma que o paciente com lesão do plexo braquial superior apresenta uma ampla variedade de problemas e desafios para o fisioterapeuta. Para
que não haja complicações, nas lesões traumáticas de punho e mão o processo de reabilitação deve ser adaptado de acordo com as necessidades do paciente.

Ressalta que as conseqüências da lesão via de regra perduram por toda á vida do indivíduo, e o paciente pode procurar o isioterapeuta em qualquer momento após a lesão.

Para evidenciar a importância dessa intervenção foi realizado estudo e relato de 4 casos, onde o objetivo do tratamento fisioterapêutico baseou-se no ganho de amplitude de movimento, fortalecimento muscular, controle do quadro álgico e edema, prevenção de aderências e treinos funcionais. Cada caso com o tratamento baseado e adequado ao quadro clínico apresentado pelo paciente. Para mensurar e acompanhar a evolução no tratamento foram realizadas uma avaliação e reavaliação.

A principal meta fisioterapêutica no tratamento de lesões traumáticas de punho e/ou mão é restaurar a mobilidade funcional ativa. (SCHRÖDER, 2007) Após a reavaliação ficou evidente a melhora em todos os casos. Durante o trabalho foi notado um grande comprometimento por parte dos pacientes, pois contribuíram para a eficácia da intervenção, constatando de forma visível a
diminuição dos sinais e sintomas causados pelo trauma advindo de lesão. Diante do questionamento levantado no trabalho, foi observado significativa melhora funcional nos casos após a intervenção fisioterapêutica no processo de reabilitação. Kisner e Colby (2006) descrevem alguns estudos que mostram que a fisioterapia promove melhor e mais rápido retorno do paciente às suas atividades. Desta forma, a intervenção da Fisioterapia no processo de reabilitação das lesões traumáticas de punho e mão foi de grande valia porque contribuiu para a melhora funcional do paciente.

Fonte


Capacite-se para atender melhor os pacientes:
  • Anamnese - Passo a Passo para uma boa avaliação
  • Combo Joelho e Quadril - Cursos Online
  • Exercício para Ganho de Força Muscular: Prescrição Terapêutica

  • Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

    Quer anunciar neste blog?
    Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

    Quer sugerir uma pauta?
    Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

    Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.