segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Saiba mais sobre as fraturas de clavícula

http://www.ortomedicamooca.com.br/images/250px/clavicula1.jpg

As fraturas da clavícula,  a fratura do osso na região superior do peito que está entre o esterno (osso do centro do tórax) e a escápula (lâmina do ombro) são frequentes, podendo acometer crianças e adultos e ocorrendo, geralmente, por conta de traumas diretos ou indiretos no membro superior. Podem ocorrer em acidentes ciclísticos, motociclísticos, quedas de cavalo, no futebol ou demais esportes e, em recém-nascidos, durante o trabalho de parto.

A clavícula, na parte de cima do peito e muito perto do ombro é praticamente impossível que tenham que dispor de um gesso para imobilizar o peito todo e o ombro; e a operação não é necessária a menos que a clavícula tenha se partido em vários fragmentos ou esteja afetando nervos ou artérias. Pois é, quando você quebra sua clavícula, geralmente vai sair do hospital com alguns calmantes para a dor e advertido de que NÃO pode mover o braço

A fraturas que apresentam maiores desvios, fraturas expostas ou acompanhadas de fraturas de outros ossos, associadas a lesões vasculares e fraturas do terço distal da clavícula, são indicações de tratamento cirúrgico. Neste caso, em geral é realizada a colocação de placa e parafusos para fixação da fratura, mas também podem ser utilizados outros materiais, como hastes flexíveis.

O tempo de consolidação da fratura é ao redor de seis a oito semanas e deve ser acompanhado pelo ortopedista,
Leia mais ...

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Dica de Livro sobre Fisioterapia Ortopédica


Livro - Fisioterapia Ortopédica

Saiba mais sobre esse livro

Fisioterapia Ortopédica: Exame, Avaliação e Intervenção apresenta uma ampla e acessível cobertura da fisioterapia ortopédica, trazendo toda a informação necessária para fornecer um cuidado de alto nível aos pacientes, constituindo-se em fonte única para a avaliação biomecânica e a elaboração de planos de tratamento específicos.

Saiba mais sobre esse livro

Inclui 500 vídeos em Inglês.

Revisão Técnica: Silviane Machado Vezzani & Débora Grace Schnarhdorf
Tradução: Maria da Graça Figueiró da Silva & Paulo Machado

Saiba mais sobre esse livro


Leia mais ...

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Fratura no fêmur: o principal é a prevenção

 



O fêmur é o osso da coxa, o maior do nosso corpo. Sua extremidade superior é o local onde o membro inferior se articula com a bacia, possibilitando a movimentação do quadril. Esta região, conhecida como fêmur proximal, é sede frequente de fraturas.

O fêmur proximal pode quebrar em pacientes jovens envolvidos em acidentes com grande impacto, como quedas de altura significativas e acidentes automobilísticos. Entretanto, fraturas do fêmur proximal são mais frequentes em pacientes idosos, com ossos fracos e osteoporóticos. Nestes pacientes, o osso pode quebrar após uma simples queda da própria altura.

O sintoma mais comum da fratura do fêmur proximal é dor na virilha e coxa, que pode estar associada ao encurtamento da perna. No hospital, o médico fará radiografias e possivelmente, tomografia computadorizada. Em casos de dúvida, até mesmo uma ressonância magnética pode ser necessária. O tratamento é quase sempre cirúrgico e, dependendo da fratura, pode ser utilizada uma haste de metal para fixar a fratura ou até mesmo substituir a articulação por uma prótese interna.

O mais importante para se evitar a fratura do fêmur em idosos é a prevenção. Estes pacientes necessitam de precauções constantes para evitar quedas. Devem sempre utilizar calçados adequados, colocar tapetes anti-derrapantes em suas casas - principalmente no banheiro - e corrimãos nos corredores e escadas. Além disso, é essencial o controle da osteoporose através de consultas médicas regulares, e, em muitos casos, reposição de cálcio e vitamina D.

Autor: Leandro Ejnisman, ortopedista do Einstein
Leia mais ...

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Ficha de avaliação de Fisioterápia na Ortopedia



Ai um exemplo de Ficha de Avaliação em Fisioterapia na Ortopedia.

1) DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

Nome:
Sexo:
Endereço:
Idade:
IMC (Peso/Altura2):
Profissão
Fone:
Data da Avaliação:
Encaminhamento:
Diagnóstico Médico:
Diagnóstico Cinético-Funcional:

2) AVALIAÇÃO


Queixa Principal:

História da Doença Atual (HDA):

História da Doença Pregressa:

Outras Patologias:

História de Doenças Familiares:

3) AVALIAÇÃO OBJETIVA

Qualidade da Marcha:

Inspeção Geral:

Palpação Superficial e Profunda:

PERIMETRIA:

GONIOMETRIA ATIVA:

GONIOMETRIA PASSIVA:

TESTES ESPECIAIS:

4) EXAMES COMPLEMENTARES


5) OBSERVAÇÕES


6) OBJETIVOS E PROPOSTA DE TRATAMENTO FISIOTERÁPICO


NOME DO AVALIADOR:
Leia mais ...

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

6 cursos online para Fisioterapia na Traumato-Ortopedia


Ola, tudo bem?

Nesta semana separei 5 cursos online com conteúdos que podem te ajudar no atendimento dos seus pacientes no cotidiano. 

São cursos que tem um bom conteúdo, preço legal e o melhor de tudo: horário flexível.  Vou separar por tema e, caso você tenha algum interesse, é só clicar no link correspondente que você vai ter mais informações. 

Curso RPG - Reeducação Postural Global

CURSO ONLINE DE RPG - REEDUCAÇÃO POSTURAL GLOBAL

O curso aborda as alterações anatômicas e fisiológicas posturais, fornecendo aos alunos os conceitos para o conhecimento das principais patologias posturais, e o tratamento com a reeducação postural global.

Curso Fisioterapia em Cervicalgias


No curso Fisioterapia em Cervicalgias do Portal Educação, por meio da Educação a Distância, o participante estudará aspectos relacionados com a anatomia, biomecânica e tratamento das cervicalgias.

Curso Alongamento Terapêutico


Os profissionais em fisioterapia poderão atualizar o conhecimento, a respeito dos princípios gerais que envolvem os conhecimentos teóricos dessa técnica, procurando trabalhar melhor com o ser humano de uma forma integral, aprimorando os conceitos do alongamento, visando à melhoria da saúde e qualidade de vida.

Curso Técnicas Posturais


O curso Técnicas Posturais, por meio da Educação a Distância, oferece ao profissional de fisioterapia conhecimentos sobre cadeias musculares, posturas, R.P.G, Isostretching, Pilates e muito mais.

Curso Biomecânica


O curso Biomecânica oferece ao profissional de Educação Física e Fisioterapia conhecimentos sobre como analisar o movimento humano com base nos princípios biomecânicos e anatômicos do corpo humano e muito mais.


Curso Tratamento Miofascial


O curso Tratamento Miofascial, por meio da Educação a Distância, oferece ao profissional de Fisioterapia conhecimentos sobre sistema fascial, princípios da osteopatia, fisiologia neuromuscular, filosofia osteopática e muito mais.

É isso! Espero que você goste e aproveite para fazer alguns! 

Até a próxima!
Leia mais ...

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Cifose de Scheuermann: conceito, evolução e complicações

http://chortho.com/images/content/deformity-cases/16-f-scheuermann-kyphosis.jpg

A doença de Scheuermann representa uma das causa mais comuns de cifose estrutural, mais frequentemente diagnosticada durante a puberdade. A etiologia e a patogênese dessa condição estão provavelmente relacionadas a fatores biomecânicos, mas sua causa permanece desconhecida. Aumento nos níveis de hormônio do crescimento tem sido documentado, de modo que os pacientes portadores dessa deformidade são mais altos do que a média para sua idade. Fatores genéticos ou ainda necrose avascular do anel apofisário vertebral são condições definidas por outros pesquisadores, mas também sem unanimidade.

CIFOSE ESTRUTURAL X CIFOSE POSTURAL

Uma possível classificação para cifoses leva em consideração sua rigidez. Uma cifose dita estrutural (p.ex., cifose de Scheuermann) apresenta alterações morfológicas no segmento vertebral acometido, o qual é rígido. Já a cifose postural é flexível, ativamente corrigível e sem comprometimento da morfologia das vértebras, discos ou outros componentes.

 
EVOLUÇÃO NATURAL

A evolução natural da doença de Scheuermann não é bem documentada na literatura. Em sua série, Murray et al. reportaram que pacientes com doença de Scheuermann tinham maior frequência de dorsalgia e menor amplitude e força de extensão de tronco quando comparados com uma população normal para mesma idade e sexo. Entretanto, não encontraram diferença significativa referente a nível educacional, número de dias perdidos de trabalho em decorrência da dorsalgia, dor nos membros inferiores, interferência da dor nas atividades diárias, autoestima ou limitação social. Em relação à evolução da deformidade em si, Travaglini encontrou progressão da cifose em 80% dos pacientes, mas o grau de progressão foi pequeno.

O padrão torácico da doença de Scheuermann, mais comum, apresenta menor tendência à progressão e a causar dorsalgia num indivíduo adulto do que o padrão toracolombar, quando sua amplitude é menor que 75°. Em curvas maiores que 80°, o risco de progressão é elevado.

Dentre as principais complicações do tratamento cirúrgico da doença de Scheuermann estão:

      infecção;

      lesão vascular;

      lesão neurológica;

      falha e/ou soltura de implantes;

      cifose juncional.

 
Leia mais ...