Caracterizado por uma diminuição na curvatura torácica, depressão escapular, depressão escapular, depressão clavicular e postura de achatame...

Fisioterapia na coluna: Hiperextensão de dorsal



Caracterizado por uma diminuição na curvatura torácica, depressão escapular, depressão escapular, depressão clavicular e postura de achatamento cervical. Está associado com uma postura militar exagerada mas não é um desvio postural comum.

a) Fontes potenciais de dor

(1) Fadiga dos músculos requisitados para manter a postura 

(2) Compressão do feixe neurovascular na saída torácica entre a clavícula e costelas.


b) Desequilíbrios musculares 

(1) Eretores da espinha torácicos e retratores escapulares retraídos, e movimento escapular potencialmente restringido, o que poderia diminuir a liberdade de elevação do ombro.

(2) Músculos protratores da escápula e intercostais fracos no tórax anterior.


c) Causa comum

Postura exageradamente ereta

A elevação da perna reta é um excelente exercício para fortalecer os músculos do quadril. É um dos exercícios primeira feita após a cirurgia...

Alongamento de Isquios-tibiais



A elevação da perna reta é um excelente exercício para fortalecer os músculos do quadril. É um dos exercícios primeira feita após a cirurgia de substituição da quadril ou joelho. Eficaz e fácil, a levantar a perna reta é uma boa técnica de reabilitação.

Dificuldade: Fácil

Tempo necessário: 15 minutos

Como faz:
Sente-se com as pernas para fora na frente de você.
Dobre o joelho de sua perna não operada a um ângulo de 90 graus mantendo o pé no chão.
Lentamente, levante a perna operada seis centímetros do chão (contraindo os músculos da coxa da frente)
Mantenha a posição por cinco segundos.
Lentamente abaixe a perna até o chão.
Relaxe e repita 10 vezes mais.

Dicas:
Continue a inspirar e expirar durante o exercício.
Concentre-se em contrair os músculos na parte da frente da coxa.

Caracterizado por uma curvatura torácica aumentada, protração escapular (ombros curvos) e, geralmente uma protração de cabeça acompanhado. ...

Fisioterapia na coluna: "Corcunda"



Caracterizado por uma curvatura torácica aumentada, protração escapular (ombros curvos) e, geralmente uma protração de cabeça acompanhado.

a) Fontes potenciais de dor

(1) Sobrecarga no ligamento longitudinal posterior

(2) Fadiga nos músculos eretores da espinha torácicos e rombóide

(3) Síndrome da abertura torácica superior

(4) Síndrome posturais cervicais 


b) Desequilíbrio musculares observados

(1) Músculos retraídos do tórax anterior (músculo intercostais), músculos do membro superior originários do tórax (peitoral maior e menor, grande dorsal e serrátil anterior), músculos da coluna cervical e cabeça inseridos na escápula (levantadores das escápulas e trapézio superior) e músculos da região cervical.

(2) Músculos eretores da espinha torácicos e retratores da escápula (rombóide e trapézio superior e inferior) alongados e fracos.


c) Causas comuns

Similar à postura lombar desleixada ou achatamento lombar, desleixo contínuo e ênfase excessiva em exercícios de flexão em programas gerais de exercícios.

Também chamada dorso curvo. A quantidade de inclinação pélvica é variável, mas geralmente ocorre um deslocamento de todo o segmento pélvic...

Fisioterapia na Coluna: Má Postura




Resultado de imagem para coluna


Também chamada dorso curvo. A quantidade de inclinação pélvica é variável, mas geralmente ocorre um deslocamento de todo o segmento pélvico anteriormente resultando em extensão do quadril, e deslocamento do seguimento torácico posteriormente resultando em flexão do tórax na coluna lombar superior. Isso resulta em aumento da lordose na região lombar inferior, cifose aumentada na região torácica inferior e geralmente protração da cabeça. A posição da coluna lombar média e superior depende da quantidade de deslocamento do tórax. Quando a pessoa fica em pé por períodos prolongados, geralmente assume um apoio assimétrico no qual a maior parte do peso fica sobre um dos membros inferiores, com mudanças periódicas do peso para o membro oposto.

a) Fontes potenciais de dor

(1) Sobrecarga nos ligamentos iliofemorais, no ligamento longitudinal anterior da coluna lombar superior, e no ligamento longitudinal posterior da coluna lombar superior e torácica. Com posturas assimétricas ocorrem também sobrecargas no trato iliotibial no lado do quadril elevado. Outras assimetrias no plano frontal podem também estar presentes.

(2) O estreitamento do forame intervertebral na coluna lombar inferior pode comprimir os vasos sanguíneos, dura e raízes nervosas, especialmente em condições artríticas;

(3) Aproximação das facetas articulares na coluna lombar inferior.


b) Desequilíbrios musculares observados

(1) Músculos abdominais superiores retraídos (segmentos superiores do reto abdominal e oblíquos), intercostal interno, extensor do quadril e músculos extensores da região lombar inferior e fáscia relacionada.

(2) Músculos abdominais inferiores alongados e fracos (segmentos inferiores do reto abdominal e oblíquos), músculos extensores da região torácica inferior e músculos flexores do quadril.

c) Causas comuns

Como o nome indica, é uma postura relaxada na qual os músculos não são usados para dar suporte. A pessoa rende-se totalmente aos efeitos da gravidade, e somente as estruturas passivas no final da amplitude de cada articulação (como ligamentos, cápsulas articulares e aproximações ósseas) provêen estabilidade. As causas podem ser uma atitude assumida (a pessoa sente-se confortável quando desleixada), fadiga (vista quando alguém precisa ficar em pé por períodos prolongados), fraqueza muscular (a fraqueza pode ser a causa ou efeito da postura) ou um programa de exercícios mal-elaborado (que enfatiza a flexão torácica).

Caracterizada por um aumento no ângulo lombossacro (o lombo que a borda superior do corpo da primeira vértebra faz com a linha horizont...

Fisioterapia na Coluna: Lordose





Resultado de imagem para lordose

Caracterizada por um aumento no ângulo lombossacro (o lombo que a borda superior do corpo da primeira vértebra faz com a linha horizontal , que é idealmente 30 graus ), um aumento na lordose lombar e um aumento na inclinação pélvica anterior e flexão de quadril. É vista frequentemente como uma cifose torácica aumentada e protração da cabeça , e é chamada de postura cifolordótica.

a) Fontes potenciais de dor :

(1) Sobrecarga no ligamento longitudinal de dor

(2) Estreitamento do espaço intervertebral posterior e forame intervertebral.Isso pode comprimir a dura e vasos sangüíneos da raíz nervosa relacionada , ou a própria raíz nervosa , especialmente se existem alterações degenerativas na vértebra ou disco.

(3) Aproximação das facetas articulares .As facetas podem se tornar sustentadoras de peso, o que pode causar irritação sinovial e inflamação articular.


b) Desequilíbrios musculares observados

(1) Músculos flexores do quadril retraídos (iliopsoas, tensor da fáscia lata, reto femoral) e músculo extensores lombares (eretores da espinha).

(2) Músculo abdominais alongados e fracos (reto abdominal, oblíquo interno e externo).


c) Causas comuns

Má postura mantida, gravidez, obesidade, músculos abdominais fracos.

Geralmente envolve as regiões torácica e lombar.Tipicamente, em indivíduos destros, uma leve curvatura em S sendo para a direta na região to...

Fisioterapia na Coluna: Escoliose



Geralmente envolve as regiões torácica e lombar.Tipicamente, em indivíduos destros, uma leve curvatura em S sendo para a direta na região torácica e esquerda na lombar , ou uma leve curvatura em C para a esquerda na transição toracolombar . Pode haver assimetria nos quadris, pelve e membros inferiores.

A escoliose estrutural envolve uma curvatura lateral irreversível com rotação fixa das vértebras. A rotação dos corpos vertebrais é no sentido da convexidade da curva. Na coluna torácica , as costelas rodam com as vértebras de modo que ocorre proeminência anteriormente no lado da concavidade . Uma giba posterior nas costelas é detectada durante a inclinação para frente

 QUANDO HÁ ESCOLIOSE ESTRUTURAL.

Uma escoliose não estrutural é reversível e pode ser alterada com inclinação para frente ou para o lado e com mudanças no posicionamento como ficando em decúbito dorsal ou fazendo realinhamento da pelve corrigindo uma discrepância entre o comprimento das pernas ou com contração musculares. Essa é também denominada escoliose funcional ou postural.


a)Fontes potenciais de dor :

(1)Fadiga muscular e torções ligamentares no lado da convexidade 

(2)Irritação nervosa no lado da concavidade


b) Desequilíbrios musculares:

(1)Estruturas retraídas no lado côncavo da curvatura 

(2)Estruturas alongadas e enfraquecidas nos lados convexos da curvatura

(3)Se um quadril está aduzido, os músculos adutores daquele lado ficarão retraídos e os músculos abdutores ficarão alongados e fracos. O oposto irá ocorrer no membro contralateral.


c) Causas comuns: escoliose estrutural 

Doenças ou distúrbios neuromusculares (como paralisia cerebral , lesão medular ou doenças neurológicas ou musculares progressivas), distúrbios osteopáticos ( como hemivértebras, osteomalacia, raquitismo ou fratura), e distúrbios idiopáticos , onde a causa é desconhecida;


d) Causas comuns : escoliose não estrutural

Discrepância entre o comprimento das pernas , seja estrutural ou funcional , proteção muscular reflexa ou espasmo devido a estímulos dolorosos na região lombar ou cervical ; e posturas habituais ou assimétricas.

Já acessou o blog Faça Fisioterapia hoje?

Faça Fisioterapia