Problemas nas articulações podem acontecer por diversos fatores. Um dos mais comuns é a lesão do joelho, que acontece de maneira mais com...

Traumas no joelho podem ser evitados







 Problemas nas articulações podem acontecer por diversos fatores. Um dos mais comuns é a lesão do joelho, que acontece de maneira mais comum durante a prática de esportes que exigem mudanças bruscas de velocidade, direção e impacto, como futebol, esqui e handebol, principalmente quando a atividade é feita sem orientação.

Sem uma avaliação prévia, o esportista pode realizar uma atividade que esteja em desequilíbrio com as suas condições físicas. De acordo com o ortopedista especialista em lesões no joelho da Orto Corpore, Claudio Kawano, a falta condicionamento físico pode acarretar o problema: "Mesmo com atividades normais, corriqueiras, a articulação acaba sobrecarregada pela força muscular insuficiente", afirma. Além disso, praticar exercícios sem planejamento também pode ter um agravante: "Uma pessoa pode estar muito bem fisicamente, mas acaba excedendo a capacidade e resistência do próprio organismo", completa o especialista.

Tipos de lesões e tratamento

As lesões no joelho podem ser divididas em dois tipos – diretos e indiretos. O trauma direto é aquele que ocorre pelo contato do joelho com algum objeto ou superfície, a famosa "pancada". A lesão pode variar de acordo com o evento: "A intensidade do trauma vai determinar a lesão, que pode ir desde uma simples contusão até lesões mais graves, como fraturas", relata Kawano. No caso dos traumas indiretos, esse contato não ocorre. O mais comum é o entorse de joelho e, de acordo com o ortopedista, é predominante a lesão ligamentar principalmente do cruzado anterior.

O tratamento varia conforme o tipo de lesão sofrida pelo paciente. Pode ser realizado um tratamento conservador, em casos mais simples, como a aplicação de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, além da utilização de meios físicos, como gelo e sessões de fisioterapia. Em casos mais graves, é necessário o tratamento invasivo, em que se realizam infiltrações e cirurgias.

Para prevenir a lesão, Kawano explica que a fase de adaptação é fundamental para os sedentários: "A primeira coisa a se fazer é um trabalho de fortalecimento e alongamento muscular. Essa prática deve estar associada a uma adaptação dos ligamentos e articulações por pelo menos um mês, antes de direcionar para a atividade que o paciente procura". Aqueles que já são atletas não fogem à regra. "Vale a mesma premissa, não devendo relaxar no preparo de retorno ao esporte após períodos sem treinamento", acrescenta o ortopedista.

Ainda assim, mesmo com a prevenção, todos estão sujeitos a lesões. Daí a importância do acompanhamento profissional: "A prevenção reduz o número de lesões que podem ocorrer no paciente. Faça uma avaliação prévia com o ortopedista e veja as suas condições físicas, osteomuscular e articular, antes de realizar qualquer atividade", finaliza Claudio Kawano.


Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter



Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

Através deste curso, você terá acesso aos mais atuais protocolos de Avaliação e Tratamento da chamada Fisioterapia Contemporânea, dentre eles: Termografia Clínica, Análise computadorizada de biomecânica, Estabilização segmentar, ventosaterapia, pilates e liberação miofascial. Clique aqui

O curso de Fisioterapia Ortopédica e Traumatológica contém informações detalhadas sobre o funcionamento e composição do sistema musculoesquelético, os tipos de lesões que podem afligi-los e as formas de tratamento. Clique aqui
>

Poste um Comentário

Faça Fisioterapia